Anderson Ferro - 🔴 - O Segredo Dos Multimilionários

10 Jul 2018 21:21
Tags

Back to list of posts

<h1></h1>

<p>A domina&ccedil;&atilde;o das m&aacute;quinas agora chegou h&aacute; um agrad&aacute;vel tempo &agrave;s telonas do http://newsparajogoz043.fitnell.com/14738715/como-obter-dinheiro-pela-internet-com-o-que-voc-j-sabe . No entanto, confiar que os enredos de Hollywood se tratam apenas de fic&ccedil;&atilde;o podes ser o superior problema da humanidade. A declara&ccedil;&atilde;o &eacute; dura e at&eacute; parece um tanto sensacionalista, entretanto tem uma fonte confi&aacute;vel: Stephen Hawking - uma das mentes mais brilhantes do nosso s&eacute;culo. Em Transcendence - A Revolu&ccedil;&atilde;o, longa estrelado por Johnny Deep e dirigido por Christopher Nolan, a intelig&ecirc;ncia das m&aacute;quinas &eacute; levada at&eacute; um limite ousado e provoca outras pol&ecirc;micas. A tentativa de fazer uma consci&ecirc;ncia online tem resultados desastrosos no filme que estreia no dia 19 de junho no Pa&iacute;s.</p>

<p>Em um postagem pro Independent falando a cria&ccedil;&atilde;o, o f&iacute;sico te&oacute;rico e cosm&oacute;logo brit&acirc;nico chamou a intelig&ecirc;ncia artificial (IA) de um avan&ccedil;o arriscado. —A intelig&ecirc;ncia artificial podes ser o superior evento pela hist&oacute;ria da humanidade. E tamb&eacute;m pode ser &uacute;ltimo, a n&atilde;o ser que a humanidade aprenda a evitar os riscos.</p>

<p>As decorr&ecirc;ncias s&atilde;o capazes de ser negativas. Respons&aacute;vel por estudos em IA voltados para o design gr&aacute;fico e jogos, Feij&oacute; acredita que estamos vivendo duas revolu&ccedil;&otilde;es tecnol&oacute;gicas: a da intelig&ecirc;ncia artificial e da visualiza&ccedil;&atilde;o de dados. ] que est&aacute; mais precisando de avan&ccedil;os. A gente vive um ciclo de reflex&atilde;o de alguns questionamentos a respeito da intelig&ecirc;ncia artificial.</p>

<ul>
<li>Planeje refei&ccedil;&otilde;es semanais</li>
<li>31 - Arroz a&ccedil;ucarado de leite condensado</li>
<li>â–ş Janeiro (1)</li>
<li>Crie um filme com uma persona espec&iacute;fica em mente</li>
<li>“Ah, contudo ah, mas ah! Mas ah!”</li>
</ul>

<p>E n&atilde;o s&oacute; devido a dos v&iacute;deos. A aten&ccedil;&atilde;o que esse grupo d&aacute; ao tema tem rela&ccedil;&atilde;o com o estudo dos impactos que isto implica e seus riscos. N&atilde;o seria exagero pronunciar-se de tra&ccedil;o de extin&ccedil;&atilde;o, no sentido de grandes impactos que s&atilde;o capazes de ocorrer pela economia e em novas circunst&acirc;ncias. Ser&aacute; que a intelig&ecirc;ncia humana tem alguma oportunidade contra os servidores de http://blogarteartesanalsite2.diowebhost.com/11432771/tutorial-dicas-blog , Facebook e companhia? Um modelo claro: aconselhar o Google a interpretar o que voc&ecirc; diz em portugu&ecirc;s e traduzir isso em uma resposta ao teu questionamento n&atilde;o parece alguma coisa prejudicial.</p>

<p>Entretanto, o gigante das buscas tem planos mais ambiciosos: estar &agrave; frente do que seus usu&aacute;rios procuram. Algo como, responder as perguntas que voc&ecirc; ainda n&atilde;o fez. Ao longo do anivers&aacute;rio de 15 anos do site de busca, tive a chance de interrogar um dos especialistas do time brasileiros de desenvolvimento da ferramenta se ainda h&aacute; d&uacute;vidas que o Google n&atilde;o consegue respondeu. Acrescente pela receita ve&iacute;culos que se dirigem sozinhos, rob&ocirc;s que s&atilde;o mais r&aacute;pidos do que seres humanos e sistemas miliares completamente aut&ocirc;nomos. — Irving Good compreendeu em 1965, m&aacute;quinas com intelig&ecirc;ncia super-humana poderiam melhorar teu design repetidamente, dando in&iacute;cio ao que Vernor Vinge chamou de “singularidade”.</p>

23211_c.jpg

<p>Voc&ecirc; acessa um servi&ccedil;o de busca ou streaming de v&iacute;deo - https://www.evernote.com/shard/s623/sh/95f6a6c2-f4fe-415a-8468-4b9d38dd51df/36d4bc7d54c9e53a173baae8f1b95891 , YouTube e tantos outros por a&iacute; - com alguma periodicidade, n&atilde;o &eacute; mesmo? Deste caso, voc&ecirc; porventura agora parou pra raciocinar que a oferta de tema leva em considera&ccedil;&atilde;o o que voc&ecirc; gosta mais de ver. A legal not&iacute;cia &eacute; que isso (ainda) n&atilde;o &eacute; o t&eacute;rmino do universo. A m&aacute; not&iacute;cia &eacute; que, no melhor dos casos, voc&ecirc; porventura est&aacute; sendo monitorado e influenciado por intelig&ecirc;ncia artificial, explica o professor da PUC-RJ.</p>

<p>Siri e companhia: o in&iacute;cio da &quot;revolu&ccedil;&atilde;o das m&aacute;quinas&quot;? — Os sistemas que voc&ecirc; acessa pelo teu celular, que capturam suas prefer&ecirc;ncias s&atilde;o mais do que controle ou invas&atilde;o de privacidade. Termina sendo uma interven&ccedil;&atilde;o, aquilo influencia toda uma cultura, uma forma&ccedil;&atilde;o inteira. As pessoas localizam que t&ecirc;m um poder de sele&ccedil;&atilde;o, mas est&atilde;o sendo influenciadas a partir de uma participa&ccedil;&atilde;o delas mesmas. Por falar em assistentes virtuais, estes servi&ccedil;os embarcam superior quantidade de tecnologia e que conseguem evoluir para uma verdadeira intelig&ecirc;ncia computacional independente. Para Feij&oacute;, &eacute; preciso fazer observa&ccedil;&otilde;es ao assunto mais ca&oacute;tico, sem deixar de transportar essa promessa em conta.</p>

Comments: 0

Add a New Comment

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License